Segunda-feira, 31 de Outubro de 2016

segunda-feira

A resolução, absoluta, radical, permanente, infinita, aplicar-se-ia um dia: a mulher passaria à clandestinidade. Não se sabia quando seria esse dia, mas era certo que seria de vez. A mulher encontrava algum consolo nesse futuro e na ideia de ser outra, calada e invisível. Era pena não conseguir decidir hoje, era bom se fosse hoje, não era capaz. Ainda se chovesse.

publicado por Patrícia Reis às 13:45
link do post | comentar

por este mundo acima_

Por este mundo acima

pesquisar neste blog_

 

arquivos_

Os Livros_

Clique na imagem

para comprar o livro.




















subscrever feeds