Terça-feira, 18 de Maio de 2010

MARIO BENEDETTI traduzido por Inês Pedrosa

 

Não te rendas



Não te rendas, ainda estás a tempo

De alcançar e começar de novo,

Aceitar as tuas sombras,

Enterrar os teus medos,

Libertar o lastro,

Retomar o voo.



Não te rendas que a vida é isso,

Continuar a viagem

Perseguir os teus sonhos,

Destravar o tempo,

Remover os escombros,

e destapar o céu.



Não te rendas, por favor não cedas,

Mesmo que o frio queime,

Mesmo que o medo morda,

Mesmo que o sol se esconda,

E se cale o vento,

Ainda há fogo na tua alma

Ainda há vida nos teus sonhos.



Porque a vida é tua e teu também o desejo

Porque o quiseste e porque eu te quero

Porque existe o vinho e o amor, é certo.

Porque não há feridas que não cure o tempo.



Abrir as portas,

Tirar os ferrolhos,

Abandonar as muralhas que te protegeram,

Viver a vida e aceitar o repto,

Recuperar o riso,

Ensaiar um canto,

Baixar a guarda e estender as mãos

Abrir as asas

E tentar de novo,

Celebrar a vida e retomar os céus.



Não te rendas, por favor não cedas,

Mesmo que o frio queime,

Mesmo que o medo morda,

Mesmo que o sol se ponha e se cale o vento,

Ainda há fogo na tua alma,

Ainda há vida nos teus sonhos

Porque cada dia é um começo novo,

Porque esta é a hora e o melhor momento.

Porque não estás só, porque eu te amo.



(ontem na Casa Fernando Pessoa)



publicado por Patrícia Reis às 07:41
link | comentar
5 comentários:
De CL a 18 de Maio de 2010 às 10:45
Fantástico...


De linda david a 18 de Maio de 2010 às 11:10
...um belo poema: os dias ficarão mais leves,mais luminosos. a vida com outro ânimo,outra cor, outro respirar!
Não te rendas Cristina!Por favor!
(estas palavras são para a minha amiga Cristina que está doente da índole,- quem não está ?)
desculpa Patrícia.

beijos.


De Patrícia Reis a 18 de Maio de 2010 às 16:54
estás à vontade, querida. beijos P


De linda david a 18 de Maio de 2010 às 20:21
... achei o poema tão belo, tão cheio de certezas que me apeteceu partilhá-lo com aqueles que amo...daquele amor que não tem sexo, nem cor, nem validade... daquele amor que me tem feito companhia nos dias em que o sol brilha mais!
Obrigada amiga por estares desse lado. (hoje estou muito lamechas, talvez por estar muito cansada, talvez por estar muito calor, talvez por estarmos no final do ano lectivo, talvez ...talvez...)

beijos grandes Amiga.
(e pensar que andei contigo ao colo!)



De marta a 20 de Maio de 2010 às 15:39
eu hoje tou mesmo original!

vou levar... também :)


lindoooooooooooooooooooooooo.


Comentar post

por este mundo acima_

Por este mundo acima

pesquisar neste blog_

 

arquivos_

Os Livros_

Clique na imagem

para comprar o livro.




















subscrever feeds