Segunda-feira, 19 de Setembro de 2016

segunda-feira

O miúdo arrasta as muletas com um sentido grave, frágil, ciente de que não sabe fazer isto de andar com quatro pés e um deles estragado, triste e caído. O miúdo dirá, zangado com o mundo, com o a traição do seu corpo, que todos os verões fica doente, que não é justo. Seria muito melhor se fosse em tempo de aulas. A mulher sublinha que o começo das aulas já se deu. O miúdo atira as muletas para o chão e deixa-se cair na cama. Ah, o mundo não é justo.

publicado por Patrícia Reis às 18:32
link do post | comentar

por este mundo acima_

Por este mundo acima

pesquisar neste blog_

 

arquivos_

Os Livros_

Clique na imagem

para comprar o livro.




















subscrever feeds